segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Centro de Zoonoses realiza mutirão de castração de gatos


A iniciativa faz parte do programa municipal Controle Permanente da Proliferação de Animais Domésticos

Na semana entre os dias 15 e 19 de dezembro, o Centro de Zoonoses, da Secretaria de Saúde, em parceria com o setor de Proteção Animal, da Secretaria de Meio Ambiente, realizou um mutirão de castração de gatos machos, na chamada “Semana dos Gatos”. A iniciativa faz parte do programa municipal Controle Permanente da Proliferação de Animais Domésticos. Foram castrados 60 gatos neste período, uma média de 12 animais por dia.
O veterinário e gerente de Saúde da Proteção Animal, Rafael Cunha de Freitas, executa as castrações em uma sala cirúrgica equipada especificamente para este fim, no próprio Centro de Zoonoses. O programa deve ter continuidade no ano que vem, incluindo as fêmeas e também cães. De acordo com o veterinário, desde setembro, quando iniciou o programa, já foram esterilizados aproximadamente 215 animais, entre cães e gatos, machos e fêmeas.
O programa foi criado para realizar castrações somente em animais machos, mas devido a grande procura para fazer o procedimento em fêmeas, serão abertas exceções. “Também existe certo preconceito na castração de machos; muitas pessoas preferem castrar as fêmeas e o número de faltantes diminuiu bastante”, afirma o veterinário Rafael.
Interessados em realizar o procedimento devem se dirigir até o Centro Ambiental, localizado no parque Jonas Ramos (Tanque), e preencher um cadastro com os dados pessoais, comprovante de renda e residência. Será realizada uma triagem, pois a prioridade é beneficiar famílias de baixa renda que não teriam condições de pagar uma clínica veterinária particular. Novos mutirões devem ser realizados a partir de fevereiro, contemplando cães e gatos, priorizando a ordem de chegada pela lista de espera.
Existe também uma parceria com o Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), onde estudantes do curso de veterinária realizam aulas práticas e fazem a castração em animais da comunidade. “Apesar do número de atendimentos ser baixo, nos ajuda muito a dar conta da demanda”, frisa.

Pós-operatório
De acordo com Rafael, o pós-operatório, mais especificamente com relação aos gatos é bastante tranquilo. Toda a medicação necessária já é aplicada dentro do próprio centro cirúrgico. O que os proprietários precisam fazer em casa é manter o local da cirurgia limpo, evitar que o animal saia para a rua e acabe até mesmo brigando com outros gatos. Outra sugestão é o animal usar um colar especial por uma semana. “Se o proprietário conseguir fazer essa limpeza, cerca de duas vezes por dia, com solução fisiológica e gases, em torno de cinco dias já terá uma boa cicatrização. Nos casos das fêmeas, por ser uma cirurgia de cavidade, os cuidados são um pouco maiores”, explica o veterinário. O comportamento dos animais muda com a castração, principalmente os machos, que ficam mais tranquilos e não saem tanto de casa, para de demarcar território e reduz a agressividade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário