sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Novos gestores de Gaspar, no Vale do Itajaí, aprofundam conhecimentos sobre desenvolvimento econômico de Lages

Gaspar está a 221 quilômetros de Lages, possui cerca de 65 mil habitantes e em 2016 celebrou 82 anos
O secretário do Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda de Lages, Juliano Chiodelli, recebeu, na tarde desta quinta-feira (22), os novos integrantes da pasta municipal voltada ao desenvolvimento do município de Gaspar, no Vale do Itajaí. Os quatro servidores municipais chegaram em Lages pela manhã, onde permanecem até final da tarde. A escolha pela visitação a Lages aconteceu por iniciativa da Associação de Micro e Pequenas Empresas (Ampe), detentora de informações pertinentes a Lages e pelo relacionamento aproximado com Chiodelli. “Isto nos atraiu a adquirir um pouco mais de experiência e conhecimento acerca da realidade de Lages, obter contato e trocar dados, mantendo esta relação em prol da população”, observa o novo secretário do Desenvolvimento Econômico e Renda de Gaspar, Celso de Oliveira, que no encontro estava acompanhado do novo diretor de Desenvolvimento Econômico, Eduardo Pedrini; do superintendente de Agricultura, André Pasqual Waltrick, e do membro do Conselho Administrativo de Gaspar, Douglas Waltrick.
Gaspar está a 221 quilômetros de Lages, possui cerca de 65 mil habitantes e em 2016 celebrou 82 anos. Em novembro, Lages comemorou 250 anos de fundação. “Todo este tempo de história pesa em que preserve-se os bons exemplos a outras cidades de Santa Catarina.”
Com negócios multissetoriais, as vocações econômicas de Gaspar, com significativa arrecadação de tributos, são focadas nas indústrias de malharia, de linhas em círculo, bordados, linha completa para confecções, argamassa, plástica e metalmecânica. Os principais desafios a serem enfrentados pela nova equipe eleita em outubro são a redução das despesas com máquina administrativa e aumento da arrecadação aos cofres públicos. “Por estarmos envolvidos na atividade pública há muitos anos, sempre mantemos uma pesquisa e analisamos o desenvolvimento do nosso Estado e Lages, em especial depois dos investimentos da Ambev, chamou nossa atenção.” Este ano a Secretaria do Desenvolvimento Econômico de Lages recebeu visitas de gestores do Poder Executivo de Xanxerê e Campos Novos, entre outros, bem como de vereadores de Carazinho (RS).
Uma Lages acima da média
À comitiva, Chiodelli apresentou um relatório bem completo com indicadores econômicos e de empregabilidade sobre a maior cidade da Serra. Abordou a instalação e expansão de empreendimentos (JBS Foods, Vossko, Ambev, Sanovo Greenpack, Ekomposit, J de Souza etc.), e relatou os fatores que servem como ímã de empresas com intenção explícita de fixação, como localização geográfica, potencial logístico e o crescimento econômico de 3,3% em 2015 (baseados na arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços - ICMS de 2015), a única cidade a apresentar um número positivo (elevação), com melhor desempenho, sendo que Lages está entre as dez maiores economias de Santa Catarina. Chiodelli compartilhou, ainda, a informação de que atualmente existe o investimento privado na ordem de R$ 400 milhões sobre 25 empreendimentos no município. O secretário lembra que 40% da arrecadação do município são originados no setor alimentício e 30% dos postos de trabalho, no setor madeireiro. “Da mesma forma que explicamos e apresentamos as ações estruturantes executadas em Lages, aprendemos muito com quem vem de fora. Apesar de Santa Catarina ser um Estado pequeno, há grande diversidade de ramos. Aos gestores de Gaspar dialogamos os modos de fomento à prospecção de novos negócios, atendimento ao investidor e o planejamento para o futuro. O condomínio multissetorial com predominância industrial Lages Business Park, é um projeto arrojado e inovador que precisa de respaldo do Poder Público para se tornar realidade. Nós (Lages) lideramos o ranking de incremento mesmo com as agruras econômicas vivenciadas no Brasil. Os cenários futuros, incluindo o impacto dos voos comerciais regulares (impulsionam o estudo de mercados, oportunizando, aliás, visita de clientes e fornecedores, otimizando tempo e dinheiro), além da operação Azul Cargas, iniciada este ano, formam o preparo de Lages para os próximos dez, 20, 30 anos, e tornarão Lages um dos principais polos de desenvolvimento de Santa Catarina”, analisa Chiodelli, ao destacar que Lages é a referência da região serrana, como um município-mãe, com fornecimento de serviços de saúde e educação, entre outros. Nos primeiros quatro meses, passaram 10.250 pessoas pelo Aeroporto Federal Antônio Correia Pinto de Macedo. O crescimento de 3,3% significa um aporte de R$ 2.523.394,74 a mais na receita de Lages (incremento no Índice de Participação dos Municípios - IPM) a ser repassado através do retorno de impostos pelo Estado no ano de 2017.
O expoente da Serra
Conhecida como a “Princesa da Serra”, Lages é o município de maior extensão territorial de Santa Catarina. Possui 2.644 quilômetros quadrados. A economia de Lages cresceu 3,3% em 2015. Lidera o ranking de crescimento entre as dez maiores cidades do Estado. O índice do Brasil foi -3,8% em 2015; até maio de 2016 foram abertas 991 empresas em Lages. A expectativa até o fim de 2016 é chegar-se a três mil novos negócios; a cidade está agregando negócios ligados à indústria, comércio, turismo, Tecnologia da Informação (T.I.), agronegócio, prestação de serviço e distribuição de produtos, diversificando a economia e ajudando a superar os momentos de crise.
No Parque Órion, no prazo de dois anos, serão geradas três mil vagas de emprego na área da Tecnologia e Inovação. O Lages Business Center deve possuir até 300 empresas. Lages é a última fronteira agrícola do Estado. São aproximadamente 113 mil hectares de áreas agricultáveis, mas Lages representa apenas 10% da produção de grãos no Estado.

Legenda: Quatro membros na nova equipe estiveram com Chiodelli nesta quinta (Foto: Silviane Brum)

_________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário