terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Soluções para a crise energética



Vivemos em um momento de expansão da nossa consciência. Essa mudança pode ser vista em vários aspectos práticos do nosso cotidiano. Um deles, e que ganha cada vez mais importância, é o modo como geramos energia elétrica.
Desde que o filósofo grego Tales de Mileto deu a primeira contribuição para a descoberta da eletricidade, cerca de 600 a. C., até a chegada de energia nas residências, a tecnologia evoluiu substancialmente.
Em um panorama geral, o Brasil é o sétimo país do mundo a consumir mais energia, sendo que cerca de 70% dessa demanda é abastecida com usinas hidrelétricas. Além do potencial destruidor e poluidor, esse tipo de geração está sujeito ainda a outro importante fator: a necessidade de abundância de recursos hídricos, algo cada vez mais limitado no cenário atual. Basta pensarmos, por exemplo, no racionamento implantado em vários países e, recentemente, também na região do sudeste brasileiro.
Neste cenário, novos posicionamentos se fazem cada vez mais necessários, não somente como uma alternativa de consumo menos oneroso, mas, principalmente, como uma postura sustentável. São inúmeras as possibilidades de geração limpa e renovável, no entanto, a que mais se destaca é a solar.
Até 2030 a expectativa é de que esse tipo de energia cresça cerca de seis vezes em todo o mundo. Neste contexto, Brasil, Chile, Israel, Jordânia e México são alguns dos países que mais chamam a atenção. Até 2050, por exemplo, de acordo com o Plano Nacional de Energia, 13% da demanda brasileira deve ser suprida por meio de painéis fotovoltaicos.
Em 2016, a geração distribuída, aquela produzida pelo próprio usuário, cresceu 308% de acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Em Santa Catarina o crescimento também foi significativo. A Quantum Engenharia, uma das principais empresas do setor, registrou aumento de 580% em vendas desse tipo de sistemas. Incentivos para a aquisição dessas energias renováveis, economia e acesso facilitado a essas tecnologias são primordiais para construirmos um futuro melhor, de aperfeiçoamento das relações com o meio ambiente.
Foto: Quantum Engenharia


Nenhum comentário:

Postar um comentário