sexta-feira, 21 de julho de 2017

Museu de Lages é referencial de pesquisa para trabalho sobre o a artista Martinho de Haro


Dono de um dos maiores acervos de documentação do Brasil, o Museu Thiago de Castro constantemente recebe visitas de pesquisadores
 A professora Líbia Palma De Haro, é mestranda em História Cultural e de Patrimônio da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e desde a terça-feira (18) está realizando uma série de pesquisas no acervo documental do Museu Thiago de Castro (MTC) em Lages. O trabalho de pesquisa da Professora Líbia está baseado no mercado de artes em Santa Catarina e na história do seu avô, o artista plástico joaquinense Martinho de Haro, que em Lages tem como obra mais famosa os mosaicos do Colégio Industrial de Lages de 1964, e que recentemente foram restaurados.
Líbia diz que uma das motivações para a realização desta pesquisa foi o fato de não haver nenhum trabalho histórico ligado a Martinho, “o tema é o mercado de arte no nosso estado, mas a parte histórica concentra muito na genealogia da família de Haro”, informa.
Uma das curiosidades da historia de Martinho é que ele foi contemporâneo do lageano Malinverni Filho nos anos 20, “os dois chegaram a estudar juntos no Rio de Janeiro”, afirma Líbia. Segundo a historiadora, a documentação que existe no Thiago de Castro é extensa e permite descobrir pessoas ligadas a Martinho de Haro e a passagem dele por Lages.
Para o diretor do Museu, Ader Godoy, visitas como a da professora Líbia são constantes “no aspecto de documentação, o nosso museu está entre os cinco maiores do Brasil, com mais de quarenta mil arquivos históricos. Isso permite que sejamos referência em local de pesquisa”,

Nenhum comentário:

Postar um comentário