quinta-feira, 31 de maio de 2018

Governador Catarinense é contra redução de ICMS para os combustíveis



Governador Eduardo Pinho Moreira critica projeto que fixa alíquota de ICMS sobre combustíveis: "oportunismo político"

O governador Eduardo Pinho Moreira classificou  de "oportunismo político" o projeto apresentado nesta semana pelos senadores Randolfe Rodrigues e Romero Jucá, que prevê uma alíquota fixa de 18% de ICMS sobre a gasolina e o etanol  e de 7% sobre o diesel. Segundo ele, a solução dos problemas enfrentados pelo país passa por uma redução da máquina pública, e não por tirar recursos dos Estados e municípios, que, somados, já ficam com menos de 40% da arrecadação de impostos no país.


" É preciso enxugar a máquina pública, do governo federal, dos Estados, dos municípios. É isso que deveria ser feito. E não tirar recursos dos Estados e municípios para continuar concentrando a riqueza nacional lá em Brasília. Somos contra. Já mandamos mensagens para os três senadores de Santa Catarina pedindo que eles não votem  nessa oportunidade extremamente demagógica criada por dois senadores", afirmou Moreira.


Ainda sobre esse assunto, o governador explicou que Santa Catarina já cobra a menor alíquota de ICMS sobre os combustíveis entre todos os Estados brasileiros. Em sua visão, a aprovação desse projeto representaria um grande revés. Moreira relembra ainda que não houve aumento de impostos para os catarinenses mesmo nos momentos mais agudos da crise econômica.
" Santa Catarina já dá bons exemplos. Nós temos a menor incidência de imposto sobre os combustíveis no Brasil. Aliás, somos um dos poucos estados brasileiros que não aumentaram impostos. Tudo isso precisa ser reconhecido. Transferir essa conta para os Estados é um grande equívoco", afirmou.




Assessoria de Imprensa 
Eduardo Pinho Moreira
(048)3665-3022

Jovens Talentos são destaque no Recanto do PInhão


Jovens Talentos se destacam no Recanto do Pinhão

Com animação musical garantida e de boa qualidade, a festa no centro da cidade tem atraído grande público

Jovens talentos da música se apresentam no palco do Recanto do Pinhão, diariamente. Este espaço é um incentivo aos artistas locais e regionais, a exemplo de William Oliver, que se apresentou às 17 horas de quarta-feira, 30 de maio, juntamente com seu grupo musical composto por baterista, baixista e guitarrista.
São artistas que tocam e cantam suas próprias composições musicais e os grandes sucessos sertanejos e da música nativista, popular brasileira e internacional.
Ganha com essas apresentações o público que passa a conhecer a produção musical lageana e regional, conhecendo e tendo a oportunidade de reconhecer e valorizar os novos talentos. “Hoje aqui no Recanto se apresentará, no início da noite o grupo Moda Boa, formado por músicos lageanos radicados no bairro da Penha. Eles já estão na estrada a alguns anos, fazendo sucesso na região e no Sul do Brasil”, destaca o apresentador do Recanto do Pinhão, Ader Godoy.
Assim é o Recanto do Pinhão, que ocupa a Praça João Costa, calçadão central de Lages, até o dia 3 de junho, quando se encerrará a 30ª edição da Festa Nacional do Pinhão. “O Recanto tem sido um ponto de divulgação do trabalho musical de novos ou de já conhecidos artistas. Assim, animação musical do Recanto é garantida e de boa qualidade. Por conta disso, o público tem prestigiado a Festa e comparecido em todos os dias do evento”, destaca Ader.

Confira a programação do Recanto do Pinhão para esta quinta-feira (31 de maio):
10- Bryan Matos
11h- Leander Sá
14h- Fundação Cultural – Escola de Artes
15h- Musical Sertamix
16h- Grupo Swing Campeiro
17h- Richard Sanfer e Banda D6
18h- Adriano Athayde
19h- Tche Loco

Vencedora da 26a Sapecada da Canção Nativa


“Até o Último Pedaço” vence à 26ª Sapecada da Canção Nativa

Dezesseis composições foram defendidas na final da Sapeca
Nas primeiras horas desta quarta-feira (30 de maio) foi anunciada a grande campeã da 26ª Sapecada da Canção Nativa. Após a apresentação das 16 composições concorrentes e a avaliação dos jurados a música “Até o Último Pedaço”, de Antônio Nunes Opptz, sagrou-se a vencedora do festival.
Confira o resultado completo:
1º Lugar
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: ATÉ O ÚLTIMO PEDAÇO
AUTOR DA LETRA: ANTONIO NUNES OPPITZ
AUTOR DA MÚSICA: FREDERICO CARDOSO PINTO
RITMO: MILONGA
INTERPRETE: FABIANO BACCHIERI
2º Lugar
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: QUADRO PAMPA
AUTOR DA LETRA: ROGÉRIO PEREIRA ÁVILA
AUTOR DA MÚSICA: LEONEL DA SILVA GOMES
RITMO: CHIMARRITA
INTÉRPRETE: LEONEL GOMEZ
3º Lugar
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: DESPEDIDA
AUTOR DA LETRA: EVAIR SUAREZ GOMEZ
AUTOR DA MÚSICA: JULIANO GOMES
RITMO: CHIMARRITA
INTÉRPRETE: PIRISCA GRECCO
Mais Popular
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: SONIDOS DE ESPERANÇA
AUTOR DA LETRA: RAMIRO AMORIM
AUTOR DA MÚSICA: KIKO GOULART
RITMO: MILONGA/CANDOMBE
INTÉRPRETE: KIKO GOULART
Melhor Intérprete
PIRISCA GRECCO
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: DESPEDIDA
Melhor Instrumentista
VIOLINO: PEDRO KALTBACH
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: PÉ SOLITO, PONTA CEGA
Melhor Letra
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: QUADRO PAMPA
AUTOR DA LETRA: ROGÉRIO PEREIRA ÁVILA
AUTOR DA MÚSICA: LEONEL DA SILVA GOMES
RITMO: CHIMARRITA
Melhor Melodia
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: QUADRO PAMPA
AUTOR DA LETRA: ROGÉRIO PEREIRA ÁVILA
AUTOR DA MÚSICA: LEONEL DA SILVA GOMES
RITMO: CHIMARRITA
Melhor Arranjo
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: VALSEANDO
AUTOR DA LETRA: DANIEL SILVA
AUTOR DA MÚSICA: MAICON OLIVEIRA
RITMO: VALSA
Melhor Conjunto Vocal
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: VIDA AFORA, NOITE ADENTRO
AUTOR DA LETRA: ROGERIO VILLAGRAN
AUTOR DA MÚSICA: KIKO GOULART
RITMO: MILONGA
Melhor Tema Campeiro
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: QUADRO PAMPA
AUTOR DA LETRA: ROGÉRIO PEREIRA ÁVILA
AUTOR DA MÚSICA: LEONEL DA SILVA GOMES
RITMO: CHIMARRITA
Melhor Tema sobre a Região Serrana
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: O PINHEIRO E O PINHÃO
AUTOR DA LETRA: BINHO PIRES
AUTOR DA MÚSICA: ÉRLON PÉRICLES
RITMO: MILONGA
Fotos: Marcelo Pakinha

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Estoque de milho da CONAB será utilizado pra alimentação animal em SC


Santa Catarina terá acesso a 42 mil toneladas de milho para alimentação animal. Nesta quarta-feira, 30, o Governo Federal publicou a medida provisória que libera os estoques da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para os criadores de aves e de suínos e para as indústrias de processamento de ração animal das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país. 
O milho será disponibilizado pelo Programa de Vendas em Balcão e terá um custo de R$ 31,90 por saco para as agroindústrias e produtorescatarinenses. Os armazéns da Conab estão localizados em locais estratégicos, chamados de corredores de abastecimento, e poderão atender a principal demanda do setor produtivo: insumos para fabricação de ração. Santa Catarina conta com 42 mil toneladas de milho estocadas nos armazéns de Campos Novos, Quilombo, Chapecó, Mafra, Irineópolis, Itapiranga, Maracajá, Braço do Norte, Herval d´Oeste, Coronel Freitas, São Miguel do Oeste e Bom Jesus.
O grão trará um novo fôlego para o setor agropecuário e poderá garantir pelo menos mais três dias de ração para os suínos e aves alojados. O secretário da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, lembra que esta não será uma ração completa, já que faltam insumos para formulação. “Não será uma ração ideal, porém é o milho que manterá a sobrevivência dos animais, evitando a inanição e o canibalismo”, destaca.
Há mais de uma semana sem o fornecimento de ração devido à paralisação dos caminhoneiros, os produtores já não tinham mais insumos para alimentar os animais nas granjas. Segundo Spies, a situação do agronegócio no Estado é dramática e todos os dias o Governo do Estado busca soluções pontuais para alimentar os animais e evitar que setor entre em colapso.
“A cada dia que passa, são alojados mais suínos e aves nas granjas. Os nascimentos continuam acontecendo e os abates praticamente pararam. Hoje temos 15% a mais de animais nas granjas. Nós temos o desafio de acabar com a greve e voltar a normalidade porque a situação está insustentável”.
Grãos em Imbituba
As negociações do Governo do Estado liberaram ainda 10 mil toneladas de milho que estavam armazenadas no Porto de Imbituba. Nesta terça-feira, 29, sete caminhões foram escoltados levando 10 mil toneladas em direção à Região Sul. “Esse milho virá em boa hora, no Sul do Estado tínhamos a situação mais crítica e nós conseguimos evitar o sacrifício de milhares de animais que estavam sem comida”, afirma Airton Spies.
Alimentação Animal
A alimentação dos suínos e aves é uma das prioridades do Governo do Estado e a passagem de cargas tem sido negociada com o movimento grevista. Em muitos casos os caminhões que transportam ração são escoltados pela Polícia Militar até as propriedades rurais.
“Nosso objetivo é que em Santa Catarina nenhum animal morra de fome. Nossa missão é não descartar animais por falta de alimento. Até aqui tivemos êxito, com expectativa de que a greve acabe logo”, ressalta Spies.
Comitê Integrado de Crise
A Secretaria da Agricultura é um dos órgãos presentes no Comitê Integrado de Crise do Governo do Estado. O grupo está concentrado no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd), em Florianópolis, e trabalha coordenando as ações para manter o funcionamento dos serviços básicos no Estado.

“Até o Último Pedaço” vence à 26ª Sapecada da Canção Nativa


Dezesseis composições foram defendidas na final da Sapeca
Nas primeiras horas desta quarta-feira (30 de maio) foi anunciada a grande campeã da 26ª Sapecada da Canção Nativa. Após a apresentação das 16 composições concorrentes e a avaliação dos jurados a música “Até o Último Pedaço”, de Antônio Nunes Opptz, sagrou-se a vencedora do festival.
Confira o resultado completo:
1º Lugar
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: ATÉ O ÚLTIMO PEDAÇO
AUTOR DA LETRA: ANTONIO NUNES OPPITZ
AUTOR DA MÚSICA: FREDERICO CARDOSO PINTO
RITMO: MILONGA
INTERPRETE: FABIANO BACCHIERI
2º Lugar
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: QUADRO PAMPA
AUTOR DA LETRA: ROGÉRIO PEREIRA ÁVILA
AUTOR DA MÚSICA: LEONEL DA SILVA GOMES
RITMO: CHIMARRITA
INTÉRPRETE: LEONEL GOMEZ
3º Lugar
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: DESPEDIDA
AUTOR DA LETRA: EVAIR SUAREZ GOMEZ
AUTOR DA MÚSICA: JULIANO GOMES
RITMO: CHIMARRITA
INTÉRPRETE: PIRISCA GRECCO
Mais Popular
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: SONIDOS DE ESPERANÇA
AUTOR DA LETRA: RAMIRO AMORIM
AUTOR DA MÚSICA: KIKO GOULART
RITMO: MILONGA/CANDOMBE
INTÉRPRETE: KIKO GOULART
Melhor Intérprete
PIRISCA GRECCO
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: DESPEDIDA
Melhor Instrumentista
VIOLINO: PEDRO KALTBACH
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: PÉ SOLITO, PONTA CEGA
Melhor Letra
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: QUADRO PAMPA
AUTOR DA LETRA: ROGÉRIO PEREIRA ÁVILA
AUTOR DA MÚSICA: LEONEL DA SILVA GOMES
RITMO: CHIMARRITA
Melhor Melodia
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: QUADRO PAMPA
AUTOR DA LETRA: ROGÉRIO PEREIRA ÁVILA
AUTOR DA MÚSICA: LEONEL DA SILVA GOMES
RITMO: CHIMARRITA
Melhor Arranjo
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: VALSEANDO
AUTOR DA LETRA: DANIEL SILVA
AUTOR DA MÚSICA: MAICON OLIVEIRA
RITMO: VALSA
Melhor Conjunto Vocal
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: VIDA AFORA, NOITE ADENTRO
AUTOR DA LETRA: ROGERIO VILLAGRAN
AUTOR DA MÚSICA: KIKO GOULART
RITMO: MILONGA
Melhor Tema Campeiro
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: QUADRO PAMPA
AUTOR DA LETRA: ROGÉRIO PEREIRA ÁVILA
AUTOR DA MÚSICA: LEONEL DA SILVA GOMES
RITMO: CHIMARRITA
Melhor Tema sobre a Região Serrana
TÍTULO DA COMPOSIÇÃO: O PINHEIRO E O PINHÃO
AUTOR DA LETRA: BINHO PIRES
AUTOR DA MÚSICA: ÉRLON PÉRICLES
RITMO: MILONGA
Fotos: Marcelo Pakinha


Município acompanha cumprimento de liminar para liberação de abastecimento de bombas de combustíveis


Caminhões saem da Distribuidora de Petróleo Idaza, no bairro São Miguel
O Gabinete do Prefeito Antonio Ceron, a Procuradoria-Geral do Município e Defesa Civil, estão acompanhando de perto os desdobramentos sobre a liberação do transporte de combustíveis da Distribuidora de Petróleo Idaza, no bairro São Miguel, até as bombas em postos de diferentes bandeiras na cidade, depois de uma decisão liminar concedida pela Justiça. A Polícia Militar (PM) está nesta operação especial e organiza o esquema de deslocamento para assegurar a ordem, por escolta, devido aos efeitos da paralisação de caminhoneiros. Os caminhões estão em processo de carregamento e a partir das 13h devem sair em direção a postos de Lages, onde serão distribuídos, mediante prévia logística e alinhamentos, buscando, ainda, a volta da normalidade à rotina. A orientação aos motoristas que irão se dirigir aos postos, os quais ainda não tiveram seus nomes divulgados, é de respeito às filas e compreensão neste momento não somente local, mas nacionalmente.
O procurador-geral do Município, Agnelo Miranda, salienta que uma ordem judicial, através de liminar, intentada por uma empresa privada, determinou a saída dos combustíveis para a retomada dos abastecimentos em Lages. “Estamos acompanhando porque o assunto é de interesse da coletividade. O oficial de Justiça confirmou que foi cumprida. A princípio já há uma liberação. O Município não chegou a ingressar uma ação, mas está atento e acompanha a evolução da questão o tempo todo, primando pela melhor decisão à comunidade. O Município acompanhou o panorama desde ontem (terça, dia 29), incluindo o contato com o Judiciário.”
Fotos: Greik Pacheco

terça-feira, 29 de maio de 2018

Carga de produto químico para tratamento de água chega a Lages com ajuda da Defesa Civil


Carga de produto químico para tratamento de água chega a Lages com ajuda da Defesa Civil

São dois cilindros de 900 quilos cada um
No final da tarde desta terça-feira (29 de maio), a Defesa Civil de Lages auxiliou a empresa Avanex, durante o transporte de uma carga com 14 mil quilos de policloreto de alumínio (PAC) para a Secretaria Municipal de Águas e Saneamento (Semasa). O produto é utilizado no tratamento de água como coagulante. O caminhão-tanque se deslocou de Palmeira, onde foi carregado, porém, estava paralisado em Otacílio Costa.
Outra carga ainda em aguardo pela Semasa é de gás cloro, em que o caminhão está parado em Curitiba. São dois cilindros de 900 quilos cada um.
A situação está sob controle e o abastecimento normal de água potável garantido pelos próximos 15 dias. A Semasa dispõe de uma reserva de cloro com dois cilindros que possuem cerca de 800 quilos cada.



Cancelado Moha Festival por conta das paralisações


Aurora retomará suas atividades a partir desta quarta-feira



COMUNICADO À IMPRENSA
Cooperativa Central Aurora Alimentos retoma atividades industriais nesta
quarta-feira

A Cooperativa Central Aurora Alimentos comunica que, atendendo a decisão de assembleia geral extraordinária realizada hoje, inicia nesta quarta-feira (30 de maio) a retomada gradual das atividades em todas as suas plantas industriais de aves, suínos e leite.
Toda a força de trabalho da Aurora, no campo e nas cidades, foi convocada para restabelecer os fluxos de produção e trabalho.
A decisão foi tomada em face da constatação, de um lado, de que o movimento dos caminhoneiros conquistou as reivindicações que sustentava legitimamente no início do movimento.
De outro lado, encorajou a decisão o fato de se encontrar ameaçada de colapso a imensa cadeia produtiva Aurora, formada por mais de 70 mil famílias rurais, 12 cooperativas agropecuárias e 16 plantas industriais que processam por dia 1 milhão de aves, 20 mil suínos e 1,6 milhão de litros de leite.
A Aurora – que sempre defendeu o diálogo entre Governo e Entidades – está convicta de que não haverá nenhuma dificuldade para a livre circulação de bens, mercadorias, matérias-primas e insumos necessários à retomada das atividades.
Chapecó (SC), 29 de maio de 2018.

       COOPERATIVA CENTRAL AURORA ALIMENTOS
        Assessoria de Imprensa

Lages foi a primeira cidade do estado que conseguiu combustível pra a comunidade diz prefeito


Gabinete de Crise se reúne para avaliar situação do município 

Lages foi a primeira cidade do Estado que conseguiu a liberação de gasolina para a comunidade, abastecendo quatro postos. Uma ação judicial será aberta para a liberação de novas cargas
Foi realizada, na tarde desta terça-feira (29 de maio) no gabinete do prefeito Antonio Ceron, a primeira reunião do Gabinete de Crise no Município, abordando assuntos pertinentes à paralisação dos caminhoneiros, que acabou ocasionando transtornos como o desabastecimento e escassez de insumos na região. O comitê formado conta com a participação de secretários municipais, Polícia Militar, Polícia Ambiental, Polícia Civil, Exército, Corpo de Bombeiros, Agência de Desenvolvimento Regional (ADR), Transul, representantes dos supermercadistas, além de outras entidades e instituições.
Todos com um objetivo em comum, avaliar a real situação do Município, os impactos à população e encontrar soluções emergenciais para garantir a manutenção dos serviços essenciais. Neste momento a maior preocupação do prefeito é além de garantir o atendimento por parte dos órgãos públicos e instituições, dar suporte à comunidade que está sofrendo as consequências do movimento.
O ponto mais crítico, além da falta de combustível, é quanto ao desabastecimento de gás de cozinha às residências e condomínios, além da escassez de alimentos nos supermercados, que começa a dar sinais de agravamento, caso a paralisação se estenda ao longo dos dias. Algumas providências serão tomadas, junto ao Ministério Público, para que as cargas de gás cheguem à cidade, nem que para isso seja necessária a escolta das forças de segurança.
Na área da Saúde, segundo informações da Secretária Odila Waldrich, as 47 unidades de saúde do município estão de portas abertas, embora em regime de economia. Os estoques de oxigênio e soro estão garantidos por mais uma semana, mas podem faltar insumos como gases e seringas, tanto para as unidades como para os hospitais. “Nestes dias a procura pelas unidades e pelo Pronto Atendimento está muito menor, mas se a paralisação passar de mais uma semana, a situação fica bastante crítica”, diz Odila.
Na Educação, as aulas nas redes municipais e estaduais nos 18 municípios da região serrana, incluindo Lages, foram suspensas esta semana. No final da tarde de sexta-feira dirigentes voltam a se reunir para avaliar o retorno na segunda-feira. Nesta segunda-feira a Defesa Civil municipal acompanhou o transporte de 18 mil litros de leite que estavam em caminhões parados em Campos Novos, direcionados à merenda dos Centros de Educação Infantil Municipal (Ceims) e Escolas Municipais de Educação Básica (Emebs) de Lages. “O que mais preocupa realmente é o gás de cozinha. Há uma possibilidade de buscar uma carga em Joaçaba”, afirma a secretária da Educação, Ivana Michaltchuk.
A informação da Transul é de que a frota vai circular com restrição de horários a partir desta quarta-feira (30 de maio), sendo mantido horário normal nos horários entre picos, e de uma em uma hora nos demais horários. Sábado o transporte coletivo será mantido com horário de domingo, assim como no feriado (31 de maio). Com esta contenção, a previsão é que o transporta coletivo tenha combustível suficiente para operar até quarta-feira (6 de junho).
Liberação de combustível foi paliativa
O Coronel Moacir Gomes, do 6° Batalhão de Polícia Militar (BPM), afirma que até agora foram realizadas aproximadamente 20 escoltas de caminhões carregados com insumos na região. Está sendo dada prioridade a materiais hospitalares, gás de cozinha e insumos para o agronegócio.
Santa Catarina está entre os Estados com maior resistência dos grevistas. Diálogos exaustivos e negociações com os manifestantes se dão a todo o momento. “Nossa maior dificuldade é que não existe uma única liderança, alguns comandos são mais radicais que outros, e a cada dia novas negociações precisam ser iniciadas”, diz o Coronel.
Lages foi a primeira cidade do Estado que conseguiu a liberação de gasolina para a comunidade, abastecendo quatro postos: Ouro Preto, Duque, Ampessam e o posto Peruzzo. Assim que os motoristas souberam das cargas que chegaram, filas quilométricas se formaram e logo o combustível foi escasso. “Hoje o cenário é diferente e tivemos resposta negativa, pois alguns líderes entenderam que esta liberação enfraquece o movimento. A orientação é para que não sejam usadas forças de segurança e as negociações sejam na base do diálogo”, afirma.
Uma ação judicial, junto ao Ministério Público, será aberta para que o abastecimento de gasolina seja liberado na cidade. Três carretas de combustível, totalizando aproximadamente 400 mil litros das bandeiras Schell e Ipiranga, aguardam liberação para abastecer outros postos.

Rumo ao Trabalho conclama a Facisc


Segue manifesto da Facisc.


Facisc divulga manifesto pelo fim das paralisações e a retomada do trabalho
A Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina apoiou inicialmente o movimento dos caminhoneiros. Porém, agora repudia a infiltração política e conclama empreendedores e trabalhadores a voltar ao trabalho.
Confira na íntegra o manifesto divulgado hoje, 29/5, assinado pelo presidente Jonny Zulauf e enviado à Presidência da República, Governo do Estado, parlamentares e demais autoridades.

AO TRABALHO
Na condição de entidade representativa de todos os segmentos empreendedores do Estado de Santa Catarina, inclusive dos transportadores em todas as suas configurações, como os autônomos, fomos complacentes com o movimento que paralisou o país na defesa de seus interesses. Em moções diretas à Presidência da República, provocamos os dirigentes em agirem com celeridade nas negociações, ratificando as denúncias em pauta.
Muitas podem ser as críticas à condução inicial do processo pelo Governo Federal, bem como ao atendimento das legítimas reivindicações originais dos caminhoneiros. As concessões do Governo, mesmo com a demora e com a evidente transferência dessas diretamente a todo o povo brasileiro, permitem o retorno à normalidade das atividades econômicas com o abastecimento e circulação de bens e mercadorias. 
Os efeitos em prejuízos já se contam aos bilhões de reais para o Estado, para a iniciativa privada e para as famílias. Urge, agora, a busca imediata da retomada de atividades, sendo inaceitável qualquer manutenção de mobilização ou alteração de foco do movimento, no sentido de inibir a retomada de todo segmento produtivo, destacadamente a comercialização de combustíveis.
Evidências de infiltrações de tumultuadores e agitadores nos movimentos legítimos havidos, com claros interesses políticos difusos, devem ser denunciados e repudiados, impondo-se, agora sim, rigor absoluto ao insustentável propósito de parar, ou manter imobilizado o país.
Em nome de todos os empreendedores catarinenses, a ordem é no sentido de rechaçar qualquer resistência em sentido contrário, inclusive exigindo dos governos, por seus órgãos competentes, que sejam aplicados os essenciais meios de restabelecer a ordem e livre exercício de qualquer demanda empresarial, em defesa dos negócios, dos bens e patrimônios já prejudicados. 
Nossas bandeiras de combate à corrupção, à ineficiência e gigantismo do Estado, em todos os seus serviços e indistintamente a todos os poderes da república que perdulariamente muito pouco fizeram ou fazem para por fim ao movimento, um grito da sociedade brasileira, visando a diminuição de custos e permanente necessidade de aumentar tributos.
Quanto às soluções do Governo ao impasse, inclusive de repassar à sociedade os ônus conferidos à malfadada Petrobrás, que já deveria estar privatizada, no constitucional princípio da concorrência e livre iniciativa, que busquem verbas em sua própria estrutura, inclusive rendas de servidores, suspendendo reajustes. 
Conclamamos todos ao trabalho, com ordem e garantias que devem ser conferidas ao Governo, afastando pelas prerrogativas legais, qualquer obstáculo em permitir que o nosso povo volte a produzir e buscar o seu sustento, inclusive os caminhoneiros. Muita novas contas se acumularam e estão aí para pagar. 

Defesa Civil acompanha caminhões carregados de leite desde Campos Novos para escolas municipais


Depois de acompanhar caminhões-tanque com Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), popularmente conhecido como gás de cozinha, para os hospitais Nossa Senhora dos Prazeres e Tereza Ramos, sendo que os veículos estavam retidos em pontos de paralisação de caminhoneiros a aproximadamente 110 quilômetros de Lages, a Defesa Civil municipal fez um novo trabalho, desta vez para o transporte de 18 mil litros de leite direcionados à merenda dos Centros de Educação Infantil Municipal (Ceims) e Escolas Municipais de Educação Básica (Emebs) de Lages.
Os três veículos da empresa APOeste Distribuidora estavam parados em Campos Novos, a cerca de 160 quilômetros de Lages. A viatura da Defesa Civil saiu para a viagem às 7h e retornou a Lages por volta de meio-dia e meia desta terça-feira (29 de maio), com descarregamento das caixas no barracão da merenda no bairro São Cristóvão. O abastecimento pode contribuir para a volta da normalidade do atendimento da Educação na próxima semana. O secretário executivo da Defesa Civil, Jean Felipe de Souza, está à frente dos trabalhos junto aos agentes.
Aulas permanecem suspensas
O Município decidiu, nesta segunda-feira (28 de maio), pelo prolongamento da suspensão das aulas em todas as unidades escolares municipais (Emebs, Ceims e Escolas Municipais de Ensino Fundamental - Emefs), nos dias 29 e 30 de maio. A decisão foi tomada devido à falta de itens essenciais para o atendimento básico, como gás de cozinha, alimentos perecíveis e material de limpeza e higiene. Os itens encontram-se parados nas cidades de Campos Novos, Joaçaba, Curitibanos e Erechim (RS).
Na rede estadual de ensino, conforme definido junto à Gerência Regional de Educação de Lages (Gered), as aulas também estarão suspensas nesta terça e na quarta-feira. Já na sexta-feira (1º de junho) haverá ponto facultativo em função do feriado de Corpus Christi (31 de maio). O retorno das aulas nas redes municipal e estadual deverá acontecer na próxima segunda-feira, 4 de junho.
Fotos: Defesa Civil


Deputada Zanotto preocupada com a Reforma Tributária que não sai


Caminhoneiros: Carmen Zanotto pede urgência na aprovação da reforma tributária

A deputada federal Carmen Zanotto (PPS-SC) em pronunciamento da tribuna da Câmara, na noite de segunda-feira (28), pediu urgência na aprovação da reforma tributária. Para ela, a paralisação de nove dias dos caminhoneiros acende a “luz vermelha” do que está por vir. A parlamentar disse que o apoio da população ao movimento reforça a necessidade de o Congresso Nacional aprofundar o debate sobre a questão.
“Aquilo que era possível o governo fazer, ele fez. Agora, nós precisamos cumprir a nossa parte. Será que é ainda é sustentável mantermos uma carga tributária, cuja média dos tributos que são pagos neste País é 36% do nosso PIB?”, indagou.
Na avaliação da parlamentar, o problema vai além da redução do preço do óleo diesel. “Esta solução é apenas uma medida de urgência para minimizar essa crise tão violenta de paralisação geral dos caminhoneiros. A revisão da carga tributária não pode mais esperar”, alertou.
Eixo suspenso
Carmen Zanotto reclamou ainda do descumprimento da parte de alguns estados e municípios da lei federal que prevê desconto no pedágio para caminhões que trafegam com o eixo suspenso, ou seja, sem cargas. A regra está prevista na Lei dos Caminhoneiros. A isenção da cobrança sobre o eixo suspenso é uma das principais reivindicações dos caminhoneiros. “É frustrante estados e municípios descumpriam a legislação, apesar de todo o esforço desta Casa para aprovarmos a lei”, ressaltou Carmen Zanotto.

Leão Baio enfrentará o Uberlândia pela série D do Brasileirão


Primeira partida entre Inter e Uberlândia será na próxima segunda-feira, às 20h
Inter de Lages e Uberlândia vão se enfrentar na próxima segunda-feira, às 20h, pela primeira rodada da segunda fase da Série D do Brasileiro. A data e o horário foram confirmados pelo site da CBF no início da noite desta segunda.
O confronto estava previsto para ocorrer no domingo, mas precisou ser adiado. O fim de semana do jogo seria também o último da edição deste ano da Festa do Pinhão, o principal evento de Lages, tradicionalmente de grande movimento de turistas. Com isso, faltariam lugares na rede hoteleira da cidade para receber tanto a equipe mineira quanto a arbitragem da partida.
O Colorado Lageano e o Uberlândia vão se enfrentar em duas partidas - a segunda, em Minas Gerais, será no domingo (10). O vencedor do mata-mata seguirá para as oitavas de final da Série D.

Amures informa decisão inédita de suspensão das aulas em toda a Serra Catarinense

Suspensas as aulas e transporte escolar em toda Serra Catarinense

Numa decisão inédita dos prefeitos da Amures e de forma consensual, estão suspensas as aulas e o transporte escolar em todas as unidades de ensino, em decorrência do desabastecimento de suprimentos como alimentos da merenda escolar e de primeira necessidade e especialmente, combustíveis.
A decisão foi tomada na tarde desta segunda-feira (28), em reunião extraordinária dos prefeitos no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres – Cigerd, junto ao Centro de Ciências Agroveterinárias – Udesc/Lages. Os prefeitos foram unanimes sobre as dificuldades de manter esses serviços devido a paralisação dos caminhoneiros, que atinge em cheio as prefeituras.
Compartilhou da mesma decisão, a Gerência Regional de Educação – Gered que também paralisará oficialmente as aulas e o transporte de alunos na rede estadual em toda Serra Catarinense. O gerente regional de Educação Humberto Aloízio de Oliveira, disse que o Estado acompanhará a decisão dos prefeitos porque os problemas são comuns.
O secretário executivo da ADR de Lages João Alberto Duarte acompanhou a reunião e respaldou a decisão dos prefeitos de adotar um posicionamento conjunto com medidas que minimizem os impactos diante do desabastecimento. Na sexta-feira, os prefeitos voltam a se reunir caso persista a paralisação e poderão prorrogar a suspensão das aulas na próxima semana e adotar até outras medidas, dependendo do desdobramento das negociações entre governo federal e caminhoneiros.
O coordenador regional da Defesa Civil, Luiz Falcão Maganin fez um relato das tratativas que estão mantendo com os líderes dos caminhoneiros. O que destacou o prefeito de Lages, Antônio Ceron é que a preocupação maior deve ser com as pessoas e a possibilidade de racionamento e a falta de alimentos. “Continuando como está, não estamos muito longe de haver falta de alimentos e isso é muito mais grave”, admitiu.
Para o presidente da Amures, prefeito de Urubici Antônio Zilli só os serviços essenciais e emergenciais deverão ser mantidos. “Obras, agricultura e tudo que não é essencial neste momento está suspenso. Temos de priorizar o a saúde e a segurança”, frisou. O alerta do presidente da Amures é que a região poderá enfrenar um caos muito em breve, caso persista por muito tempo o desabastecimento, especialmente de alimentos.

Uma nota técnica está sendo produzida pela assessoria jurídica da Amures para informar a população sobre a suspensão das aulas e do transporte escolar. O documento terá ampla divulgação nesta terça-feira.

Gazeta Politica com Leonardo Secchi


Saramago e a greve dos caminhoneiros
Por Leonardo Secchi – Professor de Administração Pública da Udesc
No livro “Ensaio Sobre a Cegueira”, o escritor José Saramago descreve, de forma brilhante, como se revela o instinto humano diante do caos. É diante do caos ou do extremo que se revela caráter, ética, a essência individual. Quando você lê o livro ou vê o filme lançado depois, é impossível não se perguntar qual seria sua reação diante da situação proposta pelo autor (epidemia de cegueira que transforma a cidade em um caos). Qual verdade eu revelaria? Qual seria minha visão ou minha cegueira?
A paralisação dos caminhoneiros que gerou o efeito dominó no desabastecimento do país, assim como a cegueira proposta por Saramago, também faz suas revelações: o empresário que pune o consumidor para ganhar mais, seja no aumento do preço do combustível ou dos alimentos; revela o cidadão que quer garantir o seu sem se importar se o outro terá ou não; revela o governo que permite ao mercado ditar regras econômicas capazes de prejudicar a população e ainda a pune pela rebelião; também revela o eleitor que está mais preocupado em defender cores e bandeiras à própria nação.
Saramago faz uma crítica ao “egoísmo e à selvageria humana” e ao parafrasear o famoso ditado “mais cego é aquele que não quer ver” aponta dois caminhos para uma sociedade mais humana: a esperança, a ordem e justiça social. Não há espaço para ambas quando apenas legislamos em causa própria.
Mudança de postura
Quando falamos em mudança de postura, de renovação, estamos falando em mudarmos esse famoso “jeitinho brasileiro” e nos unirmos para melhorarmos o sistema, o país, a vida de todos.
É com esse pensamento que apoio a paralisação dos caminhoneiros. A categoria não reivindica apenas a redução do preço dos combustíveis, que de forma absurda já aumentou 20% em cinco meses. A greve parou o país porque não é só o grito dos caminhoneiros. Ela uniu todas as classes e categorias insatisfeitas com o governo que tem permitido reajustes abusivos diante de um salário mínimo intocável e a pesada carga tributária brasileira que não parece retornar em obras e serviços públicos. Todos sentem os reflexos, do patrão ao empregado, da dona de casa ao empresário.
Como otimista e entusiasta que sou, reconheço as fraquezas humanas tão bem apontadas por Saramago, mas acredito também no que a paralisação dos caminhoneiros têm apontado no país: o povo tem muita força, tem poder de união e é capaz de provocar mudanças. Isso se chama esperança.
Em tempo
A paralisação dos caminheiros também expõe a fragilidade da infraestrutura rodoviária e de logística no país, que há décadas vem sendo sentida pela população e cobrada pelo setor. Por que será que quatro dias foram suficientes para parar o país? Com ferrovias só no papel, seguimos reféns do transporte por rodovias em situações precárias que, somado ao alto preço dos combustíveis, fica fácil entender a paralisação nacional. Este é outro ponto que sempre entra e nunca sai da pauta eleitoral.
Opinião

Empresa de ônibus Transul de Lages irá começar a restringir horários a partir desta quarta feira


Transul irá começar a restringir horários de circulação dos ônibus


Lages 28/05/18 -Diante da complexa situação de desabastecimento de combustíveis em razão da greve dos caminhoneiros, a direção da empresa de transporte urbano de Lages, a Transul decidiu na tarde desta segunda-feira (28), a executar o plano de restrição de horários na circulação dos ônibus, a partir de quarta-feira (30), ou seja, nos entre picos, de hora em hora, e nos de picos, horários normais. Nesta terça-feira (29) os serviços seguem funcionando normalmente, com algumas restrições.
Portanto, na quarta-feira, nos horários de entre picos, das 8 às 12 e das 14 às 18, os ônibus vão rodar de hora em hora. Nos horários considerados de picos, das 06 às 8 horas da manhã; das 12 às 14 horas, e das 18 às 19h30min, o trânsito dos ônibus será normal. Após 20 horas não ocorre alteração nos horários. No feriado de quinta-feira (1/6) e no sábado (2), próximos, a decisão foi a de aplicar os horários praticados nos domingos. Porém, importante lembrar que no sábado, será mantido normal, apenas o horário de pico das 6 às 8 horas, da manhã. Depois disso, de hora em hora.
No tocante aos horários especiais relativos à Festa do Pinhão, serão mantidos de meia em meia hora até à meia noite. Após, horários diferenciados conforme a demanda.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Jovens invadem o Recanto do Pinhão



Turistas de perto e de longe esbanjam simpatia e amor ao frio no Recanto do Pinhão

As delícias de uma terra sem igual garantem a presença de gente feliz no Calçadão
Não importa se embarcou em um carro e viajou apenas 29 quilômetros para encontrar um entretenimento que nem sempre existe em sua cidade, ou se o percurso de 307 longos quilômetros foi demorado e cansativo. Então, o que une os visitantes da vizinha de Lages, a pacata Correia Pinto, e da mais populosa cidade do Estado, Joinville? A vontade de respirar o ar geladinho do maior município da Serra de Santa Catarina, ver o movimento de um local que revisita o passado e valoriza os talentos regionais e poder saborear pratos típicos de dar água na boca e encher os olhos. Estes são os presentes do Recanto do Pinhão Aracy Paim, o espaço aconchegante na Praça João Costa, em que se fundem a tradição, o calor humano e os corações de lageanos e seus hóspedes que vêm de longe cheios de saudade ou, no caso dos estreantes, a curiosidade de ver o que essa tal de Lages tem de bom.
Final de semana é hora de empurrar os problemas para dentro da gaveta e aproveitar o tempo de descanso. Tem gente que não pensa duas vezes e assim que ganha uma folga convida a família e vem para Lages. É o que fez o operador de máquinas, Marcelo Monteiro, 37 anos, a esposa, a costureira Josiane (32), os filhos, Ana Beatriz (14) e João Vítor (12), e o sobrinho Kauã, de 10 anos. A família veio de Correia Pinto neste sábado (26 de maio). “É a primeira vez no Recanto este ano. Viemos fazer umas comprinhas e assistir aos shows. Aqui é um ambiente mais familiar, mais povo. A gente gosta de música gaúcha, sertaneja. É perto para vir, aí fica bom. Na Festa, no Parque de Exposições, queremos ir dia 30. A Ana é fã da Marília Mendonça”, destaca Marcelo.
De bem mais longe, Joinville, a engenheira de produção, Dayane Müller, 26, era uma dos oito turistas encantados com o Recanto do Pinhão. Ela se impressionou e aprovou o sabor da mistura da paçoca de pinhão, pois nunca havia experimentado. Bem temperada, a paçoca leva em sua receita pinhão moído, carne de gado e de porco, bacon, linguiça e cebola. “É a primeira vez que eu como a paçoca de pinhão. Só conhecia o gosto do pinhão puro. Adorei”, revela Dayane, natural de Laguna, acompanhada pelo marido Michel, de Petrópolis (RJ). O ponche também era uma novidade. “Era um sonho conhecer Lages desde meus 15 anos. Chamou a minha atenção estas barracas com renda voltada para entidades. Muito legal. As comidas são diferentes e o comércio está aberto, algo que não se vê em toda cidade.” Já o esposo analisa: “Lages é uma cidade bem estruturada.”
Dayane trabalha com a lageana Gabriele Bin, engenheira mecânica. Gabi, como é chamada pelos amigos, nasceu em Lages, mas mora em Joinville há 11 anos, portanto, é turista. A guia turística desta comitiva do Norte do Estado é Adriana, tia da Gabi e anfitriã dos oito visitantes hospedados em sua casa em Lages. A turma chegou sexta passada e programa assistir, nesta noite de sábado, ao show de Gusttavo Lima, sensação sertaneja do momento.
A formosura do Recanto
Esta história começou em 1973, quando Aracy Paim arriscou ferver um tacho com pinhões bem no centro da cidade e fazer bem aos ouvidos do público com artistas do acordeon na época.
Pois é, 45 anos se passaram. Muita coisa mudou. E muita coisa, embora antiga, renasce nesta época de Festa Nacional do Pinhão, a de número 30 oficialmente. No palco do Recanto, bandas, grupos, cantores, gaiteiros, dançarinos, estilos gaúcho, sertanejo, caipira e popular brasileiro, um mix bem brasileiro com toque lageano.
O céu azul da tarde de sábado (26 de maio), quando a programação do Recanto do Pinhão completou uma semana, foi prato cheio para um calçadão cheio com rodas de amigos, famílias, casais e crianças correndo de um lado para o outro. Nos boxes de gastronomia das entidades filantrópicas, paçoca e pastel de pinhão, ponche, quentão e aroma de outono/inverno. O paisagismo torna o ambiente mais charmoso e enaltece as flores e a rusticidade.
Ícone da Festa do Pinhão, Maria Setembrina Formiga, a Maria Botão, é uma atração de orgulho da Serra. Neste sábado o figurino era um vestido de prenda em tom bordô com adorno na cabeça em homenagem à gralha azul, ave símbolo da proliferação do pinhão. Palhaços, vendedores de balões e de algodão doce, casal de gralhas azuis em fotos tradicionais e selfies, barraquinhas de pipoca, portal de boas-vindas como cenário para fotos, um verdadeiro parque de diversões colorido e acolhedor.
Agenda de dar inveja e pra ninguém botar defeito
No sábado (26), com alto fluxo na plateia, se apresentaram Jaime Antunes, Grupo Trança de Cordas, O Rei dos Buenachos, Rogério Blum, Tio Rone e Locomotiva Campeira, Éder Goulart, Edson Augusto e Edson Brito e Grupo Campanha.
No domingo (27)
14h - Abertura
José Florêncio
Larissa e Léo
Conjunto Fogo de Chão
Leander Sá
Show nacional de Edson e Hudson