quinta-feira, 20 de julho de 2017

Defesa Civil recebe drone da Receita Federal

O equipamento que transmite imagens em tempo real poderá ser utilizado em diversas ações, como resgate e fiscalização de áreas verdes
 
A Defesa Civil de Lages recebeu, na manhã desta quarta-feira (19), a doação de um drone, através da delegacia da Receita Federal. O equipamento, rádio controlado modelo DJI Phantom 3 Standard, transmite imagens em tempo real e poderá ser utilizado em diversas ações.  “Em algumas situações, em que não conseguimos chegar de carro, como um resgate ou enchente, por exemplo, esse equipamento será muito importante. Também poderemos ampliar o trabalho de fiscalização de áreas verdes”, explica Jean Felipe de Souza, secretário-executivo da pasta. Ainda de acordo com o secretário, dois servidores da Defesa deverão receber treinamento da Polícia Militar para operar o equipamento.
 
Além do drone, a Defesa Civil também recebeu mais de 1.200 desodorantes tipo aerosol (feminino e masculino). As doações, que foram apreendidas em operações de crime de descaminho (importação ou exportação de produtos permitida em lei, porém sem o devido pagamento de impostos e taxas), foram entregues pelo delegado Carlos Alberto Padlipskas.
 
“Vamos encaminhar os produtos de higiene pessoal à Secretaria de Assistência Social e Habitação”, explica Jean.
 
 
______________________________________________

Abrigo às pessoas em situação de rua faz parte das políticas de assistência social

Em Lages, por determinação do prefeito AntonioCeron, foi aberto um novo abrigo emergencial, tendo em vista a ocorrência do frio intenso deste inverno
 
Nos dias 17 e 18 de julho, quando da ocorrência de uma massa polar intensa sobre o sul do Brasil, com precipitação de neve e o registro de fortes geadas, a Prefeitura de Lages, através da Secretaria de Assistência Social e Habitação, abrigou 31 pessoas em situação de rua. Elas ficaram abrigadas em uma casa, na rua Moisés Furtado, no centro da cidade, onde pernoitaram, tomaram banho, receberam alimentação e roupas.
Esse atendimento, segundo o secretário Samuel Ramos, continuará sendo feito diariamente, pelo período de dois meses, e visa dar o conforto necessário às pessoas que vivem em situação de risco, nas ruas da cidade, especialmente neste período de inverno. “É um pedido do prefeito para que sejam favorecidas as pessoas mais necessitadas e que vivem nas ruas, tendo em vista que Lages apresenta temperaturas abaixo de zero. Enfim, uma cidade muito fria no inverno”, fala Samuel.
A preocupação da Administração PúblicaMunicipal, com pessoas em situação de rua, não é apenas em função do frio intenso, anunciado com antecedência pelas agências de meteorologia para este início de semana. Elas já são atendidas o tempo todo pelo Centro POP, de duas formas: acolhimento durante o dia, com variadas atividades; alimentação e material de higiene pessoal (incluindo banho). Tudo isso com acompanhamento de equipe técnica, além do serviço de abrigo, através do qual, algumas pessoas permanecem no Centro POP o dia todo e pernoitam no local (pessoal residente).
O abrigo emergencial implantado a partir desta semana e o Centro POP são coordenados pela Diretoria de Alta Complexidade, da Secretaria de Assistência Social e Habitação. “As pessoas em situação de rua são contatadas pela equipe de abordagem social, trabalho este realizado diariamente, em sistema de Plantão 24 horas. Para este trabalho, essa equipe conta com o apoio do Pronto Atendimento Municipal, Unidades Básicas de Saúde, Polícia Militar, Polícia Civil, Defesa Civil, entre outras entidades e instituições. É um trabalho feito em parceria”, explica a coordenadora técnica da Alta Complexidade, Ana Maria Pavão.
Segundo Ana, esse trabalho é divulgado nas redes sociais e também em cartazes afixados nos ônibus coletivos urbanos, visando uma maior resolutividade da abordagem social, e assim, aumentar a abrangência do atendimento.
Já a diretora desta pasta da Assistência Social, Jamile Yared, avalia: “As políticas de Assistência Social têm avançado, em todo o Brasil, a partir, principalmente, da década de 2010. Com isso, o impacto social que envolve as pessoas em situação de rua, tem diminuído significativamente”, conclui Yared.
 



• Câmara promove reunião sobre os leitos da rede de emergência


A convite da presidente do Legislativo Lageano, Aida Hoffer (PSD), a Câmara Municipal realizou uma reunião na terça-feira (18) para discutir sobre os leitos de emergência mantidos pelo Ministério da Saúde, através do Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo da conversa foi esclarecer à comunidade lageana que os hospitais de São Joaquim e Urubici dispõem de leitos para atender e auxiliar a demanda de pacientes em Lages.
 
O hospital de São Joaquim está conveniado desde novembro de 2016 para atendimento em retaguarda clínica. “Temos dez leitos de retaguarda cadastrados para auxiliar a região da Serra e desafogar os hospitais de Lages”, disse a superintendente do hospital de São Joaquim, Agna Mara de Oliveira. Já em Urubici a especialidade é para cuidados prolongados, ou seja, àquele paciente que necessita de um longo período de internação. “O hospital possui 15 leitos com estrutura e equipe preparada para receber pacientes de Lages, contribuindo assim com a estrutura da rede de urgência e emergência”, declarou o administrador Carlos Alberto Medeiros.
 
Também participaram da audiência a gerente regional de Saúde do Estado de Santa Catarina, Camila Baccin, o diretor do hospital Nossa Senhora dos Prazeres, Fabio Lage, e a coordenadora do Centro Especializado em Reabilitação (CER) II, Elusa Camargo. As autoridades e representantes reconhecem a importância de orientar a população a respeito desses leitos disponíveis nos município vizinhos, mas alertam para a importância da prevenção e cuidados com a saúde.

"As pessoas da Serra estão muito doentes, isso é comprovado estatisticamente. Precisamos urgente de campanhas educativas de promoção a prevenção à saúde para que a população se cuide, invista na saúde e bem-estar”, ressaltou Baccin. A gerente ainda frisou da necessidade da integração da equipe para transferência de um paciente que necessita de cuidados prolongados. “Temos em Urubici toda a estrutura necessária para receber e reabilitar esse paciente, que ainda necessita de internação e que não precisa estar em Lages ocupando um leito de alta complexidade”, disse.
 
Diretor do hospital Nossa Senhora dos Prazeres, Fabio Lage reforçou que a entidade está com 100% dos leitos conveniados pelos SUS ocupados, mas trouxe uma boa notícia: a partir de 15 de agosto, possivelmente o Ministério da Saúde deverá habilitar doze leitos para a implantação de um Centro de Cuidado Integral de AVC. “Essa é uma conquista para a Serra Catarinense, que passa a contar com um centro de cuidados 24 horas, com equipe especializada no atendimento ao AVC”, falou.
 
Outro assunto abordado no encontro foi o atendimento prestado no Centro Especializado em Reabilitação (CER) II, junto à Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac). Com uma equipe multidisciplinar, os atendimentos são prestados aos 18 municípios da região da Amures para pacientes com alguma deficiência que necessitam de reabilitação.
 
Para a presidente da Câmara Municipal, essa foi uma conversa muito positiva e esclarecedora. “Isso nos ajuda enquanto vereador a se aprofundar nas questões que envolvem a saúde do nosso município. A intenção desses debates é saber de que forma o Legislativo Lageano pode atuar e ajudar diante dos pedidos trazidos pela comunidade” expôs Aida. A vereadora também deixou uma questão para ser analisada e discutida que envolve a Central de Regulação e Leitos. “Precisamos ficar atentos quanto ao funcionamento da Central para buscar sanar qualquer deficiência que possa agilizar esse processo de internamento”, concluiu.
 

• Reativação do posto avançado do Corpo de Bombeiros é recomendada na Câmara


Apresentado na sessão de segunda-feira (17), a moção 169-2017 solicita providências para reativação do quartel do Posto Avançado do Corpo de Bombeiros Militar em Lages. A matéria, de autoria do vereador Mauricio Batalha Machado (PPS), em conjunto com os demais pares, reivindica que o Governo do Estado de Santa Catarina adote com urgência, medidas para reativar o quartel localizado na Área Industrial, disponibilizando mais três bombeiros, um caminhão de combate a incêndio e uma ambulância para o serviço diário de atuação na unidade.

 

De acordo com informações repassadas pelo Corpo de Bombeiros, os caminhões de combate a incêndio e de resgate levam cerca de quinze minutos para se deslocarem da sede do batalhão, no bairro São Cristóvão, até a Área Industrial e as ambulâncias em torno de oito minutos. Esse tempo de resposta é considerado elevado mediante a urgência das chamadas efetuadas ao Corpo de Bombeiros. Nesse sentido, a moção busca contribuir para que seja ofertada à comunidade mais esse serviço, diminuindo assim o tempo de resposta da corporação diante de ocorrências na parte alta de Lages, visando zelar pela garantia do resguardo da vida, saúde e patrimônio da população.

 

Aprovado pela Câmara Municipal, o documento será encaminhado ao governador Raimundo Colombo (PSD) para análise e demais providências. Também assinaram a moção os vereadores Aida Hoffer (PSD), Bruno Hartmann (PSDB), David Moro (PMDB), Gerson Omar dos Santos (PSD), Ivanildo Pereira (PR), Jair Junior (PSD), Jean Pierre (PSD), João Chagas (PSC), José Amarildo Farias (PT), Lucas Neves (PP), Luiz Marin (PP), Pedro Figueredo (PSD), Osni Freitas (PDT), Thiago Oliveira (PMDB) e Vone Scheuermann (PMDB).

 

Projeto de regularização fundiária “Lages Minha Terra” é aprovado na Câmara de Lages

Aprovado na sessão de terça-feira (18), o Projeto de Lei 062-2017 institui o programa de regularização fundiária no município de Lages. Intitulado como “Lages Minha Terra”, o programa tem como finalidade promover a legalização dos lotes, através da concessão do título de propriedade (matrícula) ao dono junto ao Cartório de Registro de Imóveis da Comarca. Estima-se que em torno de três mil famílias, residentes em 21 bairros/loteamentos, estão em situação irregular.
Líder do governo na Câmara Municipal, o vereador Gerson Omar dos Santos (PSD) apresentou o projeto juntamente com a emenda modificativa 001/2017 e emenda aditiva 001/2017, onde a última diz que o título outorgado oriundo da regularização fundiária deverá ser expedido preferencialmente no nome da mulher.
A regularização fundiária é importante, visto que o cidadão passa a contar com todos os direitos sobre aquela área que lhe for escriturada, sendo possível comprar e vender, entre outros benefícios relativos à propriedade legalizada. Entre os benefícios estão a alta valorização do lote/terreno para comercialização, acesso aos serviços públicos oferecidos no município como água, energia elétrica, telefone, calçamento, transporte, entre outros, e aos programas de habitação para casa nova e reforma. 
Para acompanhar aos processos de legalização é fundamental que o interessado participe das reuniões promovidas pela Prefeitura junto às comunidades.
 

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Municípios da Amures iniciam revisão dos Planos de Saneamento Básico


O Consórcio Serra Catarinense – Cisama realizou nesta terça-feira (18), uma capacitação com técnicos dos 18 municípios da Amures voltada à revisão dos Planos Municipais de Saneamento Básico. A ação foi coordenada por profissionais da Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento – Aris, que desenvolveu uma metodologia própria para analisar essas situações.
O que explicou o diretor executivo do Cisama Selênio Sartori é que a revisão dos planos é importante para o cumprimento de metas e busca de recursos. “Revisar os planos não significa nivelar por baixo. Temos de cumprir o que preconiza a lei e o Ministério Público acompanha a aplicação desses planos. É uma questão de saúde pública, até porque os principais rios do Estado nascem em nossa região”, declarou Selênio Sartori.
Ele alertou que o custo para contratar uma empresa para revisar um Plano de Saneamento é de ao menos R$ 60 mil e como o Cisama firmou parceria com a Aris, não haverá custo. Por isso a importância de aproveitar a oportunidade.
O diretor geral da Aris Adir Faccio disse que o Plano de Saneamento abrange quatro eixos: drenagem pluvial, resíduos sólidos, abastecimento de água e o esgotamento sanitário. Ele explicou como serão conduzidas as revisões dos planos e observou que é possível refazer os Termos de Ajustamento de Conduta – TAC, dentro de uma meta possível de ser atendida pelo município.
“Precisamos adequar as metas dos planos. Nosso objetivo é acertar esta situação em parceria com o Cisama e os municípios”, reiterou Adir Faccio. O coordenador de Normatização da Aris engenheiro Ciro Loureiro Rocha, o biólogo José Francisco Mora e o engenheiro sanitarista Marcelo Seleme Matias, ministraram esta primeira oficina esclarecendo aos técnicos, os caminhos para atualizar os Planos de Saneamento Básico.
Outras etapas serão realizadas até a consolidação das metas. A secretária executiva da Amures Iraci de Souza acompanhou a abertura da capacitação e disse da determinação do presidente da associação de municípios, Luiz Carlos Xavier em avançar com a proposta. E colocou a estrutura da Amures a disposição dos técnicos para ajudar na revisão dos planos

A era digital nos serviços financeiros


 
Os papéis de carta, álbuns dos cantores favoritos e DVD’s com os últimos lançamentos do cinema têm algo em comum: foram, em grande parte, substituídos por novas tecnologias que cabem na palma da mão. Aplicativos permitem, por meio do celular e computador, enviar mensagens e fazer chamadas de vídeo para qualquer lugar do mundo, conhecer infinitos estilos musicais e assistir quantas vezes desejar filmes de todos os gêneros. Conforto e facilidade que mudaram também o modo como as pessoas se relacionam com as instituições financeiras.
Hoje em dia é normal consultar o saldo da conta corrente, pagar boletos ou fazer uma transferência tudo em ambiente digital. Aliás, é cada vez maior o número de brasileiros que optam por desenvolver essas atividades sem necessitar visitar um ambiente físico. Isso reflete em dados que mostram a redução do número de agências pelos principais bancos desde 2014.
De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) mais da metade dos serviços bancários atualmente é feita por meio de plataformas online. Na Unicred SC/PR, por exemplo, 67,7% das transações são realizadas através dos meios eletrônicos (Internet banking, mobile e caixas eletrônicos). Isso mostra que a digitalização tem sido muito bem recebida, fazendo parte do cotidiano da população.
Um relatório apresentado em 2015 pela Febraban mostra que entre os países emergentes do Brics, formado por China, Rússia, Índia e África do Sul, o Brasil é o que mais investe em Tecnologia da Informação para o segmento bancário. Sendo que um levantamento entre as maiores economias mundiais revelou que o país ocupara a sétima posição nesse mesmo quesito.
Ou seja, as instituições financeiras precisam estar atentas para essa mudança de perfil e a urgência em oferecer soluções. Os aplicativos necessitam serem intuitivos, funcionais e seguros, atendendo o maior número de demandas possíveis dos usuários.
Com isso, cada vez mais o foco será em agências físicas voltadas para consultorias, com o intuito de serem pontos de encontros presenciais. Esse será o espaço que as pessoas buscarão para solucionar demandas específicas, que não puderam ser atendidas de maneira digital.
É evidente que o uso de tecnologia é incorporado mais facilmente pelos jovens, no entanto, a população de um modo geral mostra que compreende os benefícios das facilidades digitais. Esta é uma realidade que necessita ser absorvida por cooperativas e bancos tradicionais que desejam se manter atraentes no mercado.

Rio Ponte Grande será alargado e desassoreado


 
Estas melhorias proporcionarão um belo aspecto visual à avenida e maior fluidez e vazão das águas
 
O projeto de implantação da avenida Ponte Grande, via urbana que ligará 13 bairros, desde o Guarujá e Gethal até o bairro Várzea, também contemplará obras de alargamento e desassoreamento do leito do rio Ponte Grande.
Segundo o secretário de Planejamento e Obras, Clayton Bortoluzzi, estas melhorias proporcionarão um belo aspecto visual à avenida e maior fluidez e vazão das águas. “Hoje o rio Ponte Grande apresenta grande assoreamento, tanto no leito como nas margens (barrancas). Como se não bastasse o acúmulo natural de terras, areia e galhadas de árvores e arbustos carregados pela força das enxurradas, nota-se a presença de significativa quantidade de materiais descartados diretamente dentro das águas: todo o tipo de embalagens plásticas, isopor, até pneus, capacete, e descartes de peças eletroeletrônicas”, enumera Clayton.
O secretário ainda conclui que, “o desassoreamento e alargamento do canal do rio, previstos dentro do projeto geral da avenida Ponte Grande, são obras muito importantes. Tudo será realizado ao seu tempo, visando o desenvolvimento urbano de Lages.”
 

Município discute criação de projeto baseado na reutilização de materiais da construção civil


Reunião preliminar com o prefeito deu sustentação para que o projeto evolua rapidamente

A importância de se trabalhar estratégias, tais como reciclagem e reuso, reintegrando materiais e componentes em obras assistenciais, de forma solidária, foi discutida em reunião, na manhã desta terça-feira (18), na prefeitura. A ideia partiu da Secretaria de Assistência Social e Habitação, e foi compartilhada com outras áreas como Meio Ambiente, Obras, Desenvolvimento Econômico e Defesa Civil.

O projeto, ainda em fase de elaboração, deverá em curto prazo atender a grande demanda de famílias em vulnerabilidade social, com a junção de materiais de construção tais como tintas, portas, janelas, vasos sanitários, telhas, entre tantos outros que possam surgir em condições de reaproveitamento para o devido reuso, a partir de demolições ou reformas.

Neste momento, o objetivo será o de identificar os principais fatores que podem restringir ou favorecer o processo de reutilização. Ao final, consolidar a proposta com uma série de diretrizes, que variam em relação à natureza (técnica, econômica, legal e social), escala e facilidade de implementação, visando ampliar o reuso de elementos de edificações na área social.

O prefeito Antonio Ceron mostrou-se entusiasmado com a ideia e pediu para que o projeto evolua o mais rápido possível, e possa ser lançado e posto em prática. “É mais um programa social de nossa administração que poderá alcançar uma grande dimensão, de bastante trabalho, mas de excelente resultado”, enfatiza o prefeito.
Além disso, como se sabe, a indústria da construção é uma das maiores geradoras de resíduos e consumidora de recursos naturais. E, por esta razão, conforme adiantou o secretário de Assistência Social e Habitação, Samuel Ramos, já houve contato com o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon), para a formalização da parceria. Ainda de acordo com Samuel, não se trata do lixo da construção, e sim da absorção de materiais em condições de reaproveitamento e de qualidade, que sirvam para a aplicação em outras construções. “Será um projeto de cunho solidário, com potencial de aproveitamento”, ressaltou Samue

Equipe da Saúde cria programa de conscientização na área rural


O objetivo é coletar dados e informações para melhorar a sanidade humana e animal

A Secretaria de Saúde, através do setor de Vigilância em Saúde, iniciou um programa informativo sobre os cuidados com saneamento básico e a qualidade da água consumida nas propriedades da área rural do município. O objetivo é coletar dados e informações para melhorar a sanidade humana e animal. “Mais do que identificar problemas ou atuar apenas na fiscalização e autuação, queremos contribuir para a conscientização dos moradores, e com isso evitar a proliferação de doenças”, explica a diretora da Vigilância em Saúde, Regina de Souza Oliveira.

Uma dessas doenças é a cisticercose, causada por um parasita e transmitida do homem para o animal, através da contaminação da água, alimentos e até mesmo pelas mãos.  Nesta terça-feira (18), uma equipe com profissionais do Centro de Controle de Zoonoses, da Atenção Básica e das vigilâncias em Saúde, Epidemiológica e Ambiental visitaram a propriedade da família Sasso, na localidade de Rancho de Tábuas, com o propósito de oferecer orientação aos produtores, cuja principal fonte de renda é a pecuária.

De acordo com o médico veterinário, Maycon de Oliveira Padilha, do Centro de Zoonoses, “através das visitas vamos verificar as condições de saneamento básico e a qualidade de água consumida, e se necessário dar o apoio técnico para resolver questões eventuais de contaminação.”
Seu Osni e a esposa Zenilda receberam folders explicativos e uma caixa com frascos de hipoclorito, composto químico doado pelo Ministério da Saúde para auxiliar no tratamento da água. “Vamos fazer a coleta para analisar a qualidade de água, mas até que saia o resultado eles poderão utilizar a solução, tanto na água consumida que vem do poço artesiano, quanto na limpeza da caixa d’água”, explica a gerente da Vigilância Ambiental Larissa costa oliveira