segunda-feira, 13 de março de 2017

Cerca de 1,6 mil estão fora de casa por temporal em São Francisco de Paula

Cerca de 1,6 mil estão fora de casa por temporal em São Francisco de Paula

Conforme a Defesa Civil, 300 casas foram atingidas pelo temporal.
Autoridades ainda vão determinar fenômeno que atingiu a cidade.




Cerca de 1,6 mil pessoas estão desabrigadas ou desalojadas e uma morreu devido a um temporal que atingiu a cidade de São Francisco de Paula, na Serra gaúcha, no domingo (12), conforme a prefeitura da cidade. Ao todo 300 casas foram afetadas. Outras cidades do estado também foram atingidas pelo temporal.
A vítima fatal foi um jovem de 24 anos, atingido por uma estrutura de ferro que voou com as fortes rajadas. Cerca de 70 feridos foram atendidos nos hospitais da região, sendo que duas pessoas foram transferidas para Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre.
A prefeitura de São Francisco de Paula informou que deve decretar estado de calamidade pública. Pelo menos 200 pessoas ficaram desabrigadas e muitas passaram a noite no ginásio da cidade. Casas ficaram completamente destruídas, árvores foram arrancadas pela raiz e um ginásio de esportes desabou.
Pelo menos seis bairros foram atingidos pela tempestade. Conforme relato dos moradores, o temporal durou poucos minutos, mas os momentos foram de terror.

O secretário de desenvolvimento social da cidade, Arquimedes Aguiar, afirmou que não há desaparecidos. "Entramos em contato com famílias, com os desabrigados e as pessoas afetadas e também com o hospital. Até agora não tem desaparecido."
Meteorologistas ainda não sabem dizer qual fenômeno atingiu a cidade. Conforme o relato de moradores, a ventania chegou em círculos. Equipes da Defesa Civil do município trabalharam durante toda a noite para amenizar os efeitos dos estragos na cidade.

Cidade precisa de doações, diz secretário
Conforme o secretário de Desenvolvimento Social de São Francisco de Paula, Arquimedes Aguiar, são necessárias doações de alimentos, mas principalmente, de material de construção. “Para que consigamos reconstruir as partes mais afetadas”, afirmou.
Ele diz ainda que as autoridades têm se reunido para “buscar recursos estaduais e federais, e ter a compreensão dos órgãos públicos para conseguir remeter esses recursos e fazer a reconstrução do município, principalmente das casas afetadas”.
Indagado sobre o que teria atingido a cidade, Aguiar afirma que ainda não se sabe ao certo se o município foi atingido por um tornado ou por um vendaval. “Acreditamos que tenha sido um tornado pela velocidade, acredito que a velocidade do vento passou de 150 km/h. Estamos com a Defesa Civil do estado e municipal, e vamos fazer o levantamento técnico a respeito da situação das residências, e para analisar o fenômeno, se realmente foi um tornado”.
O prefeito de São Francisco de Paula, Marcos Aguzzoli, lembrou em entrevista à Rádio Gaúcha que a cidade foi atingida por fenômeno parecido em 2003. "Mas tivemos sorte na época porque pegou 500 metros para o lado e pegou um cemitério e um campo. Desta vez pegou o Centro e mais de quatro bairros, além do Distrito Industrial e foi arrastando o que tinha pela frente."

O chefe executivo salientou a necessidade de pessoas para ajudar na reconstrução das casas. "Além da força de trabalho, vamos precisar de material de construção, isso é inevitável. Precisamos de pedras, cimento, madeira, pisa, vaso. É um recomeço para muitas famílias”.

O prefeito estima que a reconstrução da cidade deva levar ao menos seis meses. “Decretei estado de calamidade pública”, afirmou, completando que a prefeitura estuda a abertura de contas para a realização de doação em dinheiro, “para poder ajudar essas famílias”.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário